sábado, 22 de junho de 2013

Livro-Filme: As Vantagens de Ser Invisível

                                                   
Conheci o livro em 2010 quando soube que haveria o filme. E comprei-o imediatamente ao ler a sinopse: Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir "infinito" ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário. Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.
     Foi um dos primeiros livros que li e foi impressionante! Charlie cativou-me do início ao fim junto com os seus amigos, todos com diferentes problemas. E, por mais incrível que pareça, já tinha imaginado o Logan Lerman como o Charlie e a Emma Watson como uma possível Sam, mas eles superaram as minhas expectativas. Reli "As Vantagens de Ser Invisível" antes de assistir pela primeira vez, o que demorou muito a acontecer, já que não lançou onde moro. O lançamento seria em novembro, mas terminou saindo apenas no início do ano. Felizmente, depois de tanta procura na internet, encontrei o filme em dezembro, podendo assim me maravilhar uma terceira vez com as ações e amizades de Charlie. O filme demonstrou exatamente o que achei do livro, tudo o que era importante foi colocado de uma maneira extremamente magnífica, tornando-se assim o meu filme preferido do momento. Já assisti mais de 20 vezes, acho. E sei as frases quase decoradas... Mas, o importante é que foi feito bem semelhante, retratando as ideias do autor e do livro. Parabéns também ao Ezra Miller, que se destacou completamente! As atuações estavam perfeitas, assim como a trilha sonora. 


Com 102 minutos, o filme foi produzido pelo Stephen Chbosky(o autor do livro e também roteirista do filme). Tão incrível, tão magnífico! 
                                      
                               

                                 
                                 




Nenhum comentário:

Postar um comentário